The 69 Eyes é uma banda finlandesa de Gothic Rock formada em 1989.

Inicialmente, o estilo do 69 Eyes era o Glam Metal e Hard Rock, influenciados por bandas como Mötley Crüe, Hanoi Rocks e The Stooges. No entanto, eles começaram a incorporar mais influências de bandas inglesas de Gothic Rock como The Mission, Lords of the New Church, The Cult, Fields of the Nephilim e Sisters of Mercy. O som deles é descrito como uma mistura da sonoridade sombria e melancólica do Gothic Rock com guitarras distorcidas e potentes do hard rock, acompanhadas por ritmos de Rock And Roll. A música continuou a mostrar a influência de bandas e artistas do rock como Elvis Presley, Billy Idol, Ramones e The Doors, bem como filmes de vampiros e inspirações no horror gótico, a banda também é conhecida como “Vampiros de Helsinque” (Helsinki Vampires). O termo “Goth’n’ Roll” é usado pelos fãs para descrever seu estilo. Com o lançamento do álbum Back in Blood (2009) o som da banda voltou um pouco as origens, isto também é observado em seus dois álbuns mais recentes, X (2012) e Universal Monsters (2016), embora o imaginário gótico e temas líricos sombrios permanecem em seu estilo.

A banda surgiu no início da década de 1990 com Jyrki, Willian e Bazie. Jyrki escrevendo as letras e Bazie compondo as músicas. Logo se juntou Timo-Timo como guitarrista base e na seqüência Archzie no baixo. A princípio contavam com um baterista chamado Lotto, mas este abandonou a banda antes mesmo de começarem a gravar o primeiro disco, dando lugar a Jussi e assim se completou o grupo.

Nos primeiros anos as músicas eram um Glam Metal e Rock’n’ Roll de garagem sujo com sabor dos anos 80, lembrando Iggy & The Stooges, Hanoi Rocks, Motörhead, etc. Assinaram com a companhia independente Gaga Goodies Records. Lançaram seu primeiro single “Sugarman” em 1990. Depois o primeiro disco “Bump´n´Grind” (1992), “Savage Garden” em 1995, uma regravação para os fãs japoneses, “Motorcity Resurrection”, com covers de Kiss, Iggy & The Stooges, Alice Cooper entre outros, também em 95.

Levaram dois anos até lançar o próximo disco “ Wrap Your Troubles In Dreams”, em 1997. Neste meio tempo, The 69 Eyes vai se sobressaindo como autênticos ícones do glam finlandês, fazendo muitos shows inclusive fora da Finlândia, como na Suécia, Reino Unido e Itália entre outros.

Aos poucos vão se convertendo em uma banda mais obscura, adentrando em um estilo mais relacionado ao Gothic Rock. Nota-se uma mudança já no álbum “Wrap Your Troubles in Dreams”, onde as músicas não soam tão felizes como antes, o vocalista Jyrki 69 começa a desenvolver um tom vocal de baixo-barítono operístico assemelhando-se a de outros vocalistas como Andrew Eldritch e Peter Steele, e suas performances no palco começam a ter influências de grandes nomes do Rock And Roll como Elvis Presley e Jim Morrison. Ainda no ano de 1997, a banda grava um cover da canção “Call Me”, da banda americana Blondie.

Em 1998 já promoviam uma nova demo, “Wasting The Dawn”, por Helsinque e num show em um dos bares da capital finlandesa, o Rock Córner Bar, conheceram Ville Valo, vocalista do HIM que, por sua vez, passou a fazer parte da história da banda.

Em 1999 lançaram seu primeiro disco internacionalmente, “Wasting The Dawn”, pela Roadrunner Records. O Single “Wasting The Dawn” entrou no TOP 10 de singles e ofereceu tributo ao vocalista do The Doors, Jim Morrison, e contou com Ville Valo nos backing vocals e no clipe de “Mr. Mojo Risin”.

A banda se consolida de vez no panorama musical Gótico com o Single “Gothic Girl”, lançado em 2000, do seguinte trabalho “Blessed Be”. Este foi responsável pelo primeiro disco de ouro da banda e foi produzido por Johnny Lee Michaels, o “sexto” integrante da banda. Lee Michaels, além da produção, se encarregou dos arranjos de todas as músicas, dos teclados e das programações do novo álbum.

No final de 2000 lançaram o single “Brandon Lee”, que permaneceu 14 semanas no TOP 20 e o vídeo foi um dos mais solicitados durante meses no canal alemão, VIVA 2. Em fevereiro de 2001 lançaram o single “The Chair”, o terceiro do disco “Blessed Be”, e na metade do ano o quarto, o single “Stolen Season”.

Redes Sociais