The Birthday Massacre é uma daquelas bandas cujo estilo não é definido. Alguns dizem que é Synth Rock, outros que é Rock Industrial, ou até mesmo New Wave. Ouso dizer que é um pouco de cada e nenhuma delas. Não há como se negar que TBM, abreviação do nome da banda, criou um estilo próprio. Uma mistura de tons muitas vezes sombrios com uma voz ora gutural ora sussurrante que só a Chibi sabe fazer. É algo novo, uma inovação que impede que a banda seja posta em apenas uma categoria. Não. The Birthday Massacre é um mundo inteiro de letras e melodias diferentes que te fazem viajar.

Imagine aqueles riffs pesados de um Gothic Metal, coloque elementos eletrônicos e junte-os com uma voz suave e quase hipnotizante. É algo próximo do que é o The Birthday Massacre.

Tudo começou no ano de 1999 em Ontario (Canadá). Os amigos de infância Rainbow e M. Falcore conhecem Chibi e Aslan na faculdade, e juntos resolvem formar a banda que originalmente receberia o nome de Imagica.
Em 2000, Dank, um amigo de Chibi se junta à banda, fechando por enquanto, a formação.
Um mês depois de fazerem a primeira Demo, que incluía a primeira versão da música “The Birthday Massacre” (Mais tarde o nome foi mudado para “Happy Birthday”*) OE se juntou ao grupo depois de responder um anúncio na faculdade. Ainda viria a completar a formação da banda no mesmo período, o baterista Rhim e o tecladista Owen.

Em 2001, após a saída de Dank, a banda adota o nome de “The Birthday Massacre” e um ano depois lança seu primeiro disco independente, conhecido como “Nothing and Nowhere”. Em 2003, um novo integrante entra para a banda, ADM, assumindo o lugar de Dank no teclado ao vivo. Em 20 de Julho de 2004, o TBM lança um EP de nove músicas intitulado “Violet”, e termina o ano relançando “Nothing and Nowhere”.

Em 2004, após ADM deixar a banda para cuidar de projetos paralelos, The Birthday Massacre assina contrato com a Repo Records na Alemanha e lança uma versão remasterizada e expandida de “Violet”, ganhando assim sua primeira base de fãs na Europa.

Em 2005, um novo contrato com a Metropolis Records e o lançamento de “Violet” nos EUA, Canadá, Reino Unido e América do Sul é feito.

Ainda no mesmo ano é lançado o primeiro DVD da banda, com o videoclipe da música “Blue” e bastidores de shows, entrevistas com os integrantes e clipes ao vivo de “Violet” e “Video Kid”.

No começo de 2006, o TBM fez uma turnê de sua Tour “Broken Minds” pela América do Norte, tocando nos EUA, México e Canadá. Além de também terem visitado a Europa.

Em 2007, é lançado o álbum “Walking With Strangers” com faixas como “Kill the Lights”, “Falling Down”, “Remember Me” e “Movie”. Com este álbum a banda entra na décima posição da Billboard Top Heatseekers. O álbum foi lançado na Europa em 21 de setembro e no Reino Unido em 22 de outubro de 2007.

Um ano depois veio o EP de “Looking Glass” e em 2009 o álbum ao vivo: “Show and Tell”.

A banda não para por aí e em 2010 lança Pins and Needles, contendo “Always”, “Shallow Grave”, “Secret”, entre outras.

Em 9 de Agosto de 2011 é lançado o mais novo EP da banda, intitulado “Imaginary Monsters”, com três faixas inéditas e alguns remixes.
As três faixas inéditas, “Forever”, “Burn Away” e “Left Behind”, foram originalmente criadas para fazer parte do “Pins and Needles”, mas por razões comerciais não foram incluídas.

Esta é uma trajetória de 12 anos. 12 anos de sucesso, com músicas de qualidade e letras verdadeiramente incríveis, que fizeram um grupo de estudantes de Ontario conquistarem a Europa, América do Norte e América do Sul e até japoneses ouso dizer. Pois recentemente a banda tem estado em uma turnê junto com o “Dir en Grey”, pelo mundo afora.
Sem dúvida alguma, The Birthday Massacre é uma banda que merece seu sucesso e que veio para ficar por anos e anos a mais, de preferência vindo ao Brasil várias e várias vezes.

Redes Sociais